Timorense menos preparado mas mais determinado para Mundiais de esqui alpino

O timorense Yohan Goutt Gonçalves assumiu-se ontem menos preparado para os Mundiais de esqui alpino de 2015, do que para os Jogos de Sochi2014, mas mais determinado.

 

 

"Esta temporada, a minha preparação foi muito difícil porque não houve muita neve na Europa, por isso preparei-me menos, mas estou mais determinado. Ainda consegui treinar na Turquia e na Áustria e agora nos Estados Unidos", disse à agência Lusa o primeiro representante de Timor-Leste a participar em Jogos Olímpicos de Inverno.

 

 

 

Goutt Gonçalves foi 45.º e último classificado do slalom de Sochi2014, a 49,05 segundos do vencedor, o austríaco Mario Matt, e ambiciona agora participar na mesma disciplina e no slalom gigante nos Mundiais, que vão realizar-se de 02 e 15 de fevereiro, em Vail e Beaver Creek, nos Estados Unidos.

 

"A qualificação para os Mundiais é diferente da dos Jogos Olímpicos, esta vai decorrer nos Estados Unidos, imediatamente antes da competição e eu vou disputar uma vaga em slalom e slalom gigante", explicou o esquiador, de 20 anos, que ambiciona "apurar-se e terminar a prova".

 

Yohan Goutt Gonçalves, filho de um francês e de uma timorense, reconheceu a estranheza com a participação de um atleta do Timor-Leste em competições de desportos de inverno, nomeadamente entre os outros competidores, realçando o carinho recebido no território, onde pretende promover um programa especializado em esqui.

 

"A última vez que estive em Timor-Leste foi em março, quando tive uma grande experiência após Sochi2014, com as pessoas a reconhecerem-me e os responsáveis políticos a congratularem-se. Eu quero criar, dois anos antes dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2018, um programa para crianças timorenses, que possam gostar de neve, e vou ajudá-las a treinar para ver se têm potencial. Para já, além de mim, também o meu irmão está a treinar arduamente para ser um esquiador timorense", rematou.

 

Ausente dos Campeonatos do Mundo vai estar Portugal, devido à falta de verbas para assegurar a presença dos atletas Arthur Hanse e Camille Dias, que poderiam qualificar-se, depois de o terem feito para Sochi2014.

 

@Lusa