Confederação Asiática de Futebol irradia antigo diretor de Timor-Leste

A Confederação Asiática de Futebol (AFC) suspendeu hoje vitaliciamente o antigo diretor técnico da Associação de Futebol de Timor-Leste Orlando Marques Henriques de todas as atividades relacionadas com o futebol. 

 

 

A decisão surge depois de ter sido provado que Orlando Henriques aceitou um suborno de 15 mil dólares (cerca de 13 mil euros) para oferecer aos jogadores da equipa de futebol Timor-Leste, para que perdessem o jogo com a Malásia, realizado a 30 de maio, nos Jogos do Sudoeste Asiático de 2015, em Singapura.

 

Orlando Henriques e outro responsável timorense, Moisés Natalino de Jesus, declararam-se culpados e foram condenados em novembro de 2015 a penas de 20 e 24 meses de prisão pela sua participação na "conspiração criminosa".

 

O antigo diretor técnico timorense foi entretanto libertado da prisão em Singapura.

 

As investigações foram conduzidas pelo Corrupt Practices Investigation Bureau (CPIB) que deteve os dois timorenses e os seus coconspiradores, o indonésio Nasiruddin e o singapurense Rajendran R Kurusamy antes do jogo, que terminou 1-0 a favor da Malásia.

 

Nasiruddin e Rajendran - considerado no tribunal como o maior responsável por combinar resultados de jogos (match-fixing) de Singapura - já se tinham declarado culpados no seu julgamento, tendo sido condenados, respetivamente, a 30 meses e 48 meses de prisão.

 

Já em janeiro, a AFC denunciou um esquema de falsificação de certidões de nascimento destinada a integrar 12 jogadores brasileiros na seleção nacional de futebol de Timor-Leste, de modo a utilizar os jogadores nos jogos de qualificação para a Taça da Ásia de 2019, Campeonato do Mundo de 2018 e outras competições.

 

com Lusa